domingo, 30 de agosto de 2015

OS FATORES REAIS DO PODER

Os fatores reais do poder que regulam no seio de cada sociedade são essa força ativa e eficaz que informa todas as leis e instituições jurídicas da sociedade em apreço, determinando que não possam ser, em substância, a não ser tal como elas são. Ferdinand de Lassalle

“Uma das características da prática jurídica brasileira é a dualidade entre o que está escrito nas normas, nas leis e a sua execução prática. Uma coisa é eu dizer que sim, é viável juridicamente uma pedalada fiscal conduzir ao impeachment de um presidente da República regularmente eleito. Outra coisa é eu saber como realmente funcionam as instituições e acreditar nisso”, disse Joaquim Barbosa. (Royalties para Ferdinand de Lassalle) (royalties para Hélio Fernandes).




'Ferdinand Lassalle foi economista, agitador e grande orador, ligando-se aos jovens hegelianos. Foi amigo de Marx e de Proudhon. Lassalle, contudo, não adotou o “socialismo científico” de Marx. Teve participação ativa na Revolução de 1848 em Düsseldorf, tendo sido preso. Partidário da unificação alemã e do sufrágio universal.'



Eliezer devastou o Amapá, entregou todo o manganês aos americanos, a "preços de banana" (royalties para o presidente dos EUA, Theodore Roosevelt, que inventou essa expressão para identificar os países debaixo do Rio Grande. Isso em 1902).



EIKE BATISTA, por Hélio Fernandes

http://2.bp.blogspot.com/-DstAUO-SSBY/T8-7ML-VEnI/AAAAAAAABgs/bjL659EJOPg/s320/eike+dilma.jpg

Hélio Fernandes, após longa ausência, certamente motivada pelo falecimento de dois filhos, ocorridos no ano passado, e do irmão, Millor Fernandes, ocorrido no mês passado, o decano dos jornalistas brasileiros, nonagenário, finalmente volta a escrever e a nos brindar com suas análises, sempre acuradas e calcadas em fatos incontestáveis.

Eike Batista: "Paguei meu imposto de renda com um cheque de 670 MILHÕES DE REAIS". Deve ser verdade. Mas de onde vem essa fortuna, que segundo ele, é a maior do Brasil? Do pai, o melhor do Brasil?

Ninguém duvida; as dúvidas estão todas na sua vida, ou melhor, na vida do pai, que montou sua herança, antes mesmo dele nascer. Ninguém tem uma trilha (que gerou o trilhão) de irregularidades tão grande quanto Eliezer Batista. E em toda a minha vida profissional, nunca escrevi tanto e tão vastamente sobre irregularidades, prejuízo ao Brasil, ENRIQUECIMENTO COLOSSAL, quanto sobre Eliezer. E logicamente nem uma vez de forma POSITIVA, sempre naturalmente NEGATIVA.

A partir do "Diário de Notícias" (1956/1962) e depois já na "Tribuna da Imprensa", Eliezer era personagem quase diário.

O roubo das jazidas de manganês do Amapá, assunto exclusivo deste repórter, ninguém participava. Eliezer era tão GENEROSO com os jornalões, como foi depois com o filho. O Brasil era o maior produtor de manganês do mundo. Como era de outros minérios, todos controlados por ele, presidente eterno da Vale.

Eliezer devastou o Amapá, entregou todo o manganês aos americanos, a "preço de banana" (royalties para o presidente dos EUA, Theodore Roosevelt, que inventou essa expressão para identificar os países debaixo do Rio Grande. Isso em 1902).

No Porto de Nova Iorque, os navios que vinham do Brasil com manganês, atracavam lá longe para não provocar comentários. E este repórter dava o número dos navios, os nomes, o total da carga, o miserável preço da venda, EMPOBRECENDO o Brasil, ENRIQUECENDO os "compradores" e o grande VENDEDOR (sem aspas) Eliezer.

Está tudo no arquivo da "Tribuna", fechada por necessidade de silenciar o jornal que contava tudo. Os jornalões, servos, submissos e subservientes, exaltavam as vendas destruidoras, elogiavam o PROGRESSO DO AMAPÁ, por ordem de ELIEZER e da VALE. Diziam: "O Amapá abre estradas, constrói escolas e hospitais, os pobres estão muito mais atendidos e alimentados".

Mistificavam a opinião pública, queriam convencer a todos que EXPLORAR AS RIQUEZAS do então Território, deixando os milhares de pobres habitantes sem comer, sem morar, sem hospital e escola. Tudo transitório, enquanto ESBURACAVAM todas as terras, EXTRAÍAM o manganês e DOAVAM tudo aos trustes. (Como se chamavam, na época).

Gostaria de reproduzir tudo isso, a corrupção praticada pelo pai, beneficiando e enriquecendo ele mesmo e acumulando para o filho bem-aventurado. (Mas como o jornal está fechado, tenho que ESQUECER essas matérias de 40 e 50 anos, mas a-t-u-a-l-i-z-a-d-í-s-s-i-m-a-s.

Quem nasce Batista se reproduz na riqueza de outro Batista. Só o manganês não se reproduz; dá apenas uma safra.

Mas como Eliezer foi sempre muito PREVIDENTE, controlou todos os minérios, que deixou para o filho, de "papel passado", ou então em indicações DEBAIXO DA TERRA. Mas com os mapas atualizados e do conhecimento APENAS DO FILHO, A MAIOR FORTUNA DO BRASIL, ANTES MESMO DE NASCER.

(O Brasil tem quase a totalidade da produção desses minérios, como tinha do manganês, raríssimos. E como tem do NIOBIO, ainda mais raro e IMPRESCINDÍVEL, 98 por cento de tudo o que existe no mundo).

Alternando de pai para filho, afinal onde termina Eliezer e começa o Eike? O pai já completamente identificado, mesmo como presidente, "DONO" da Vale, embora já carregasse como propriedade pessoal, a ICOMI, fundada para concorrer com a própria Vale. Utilizando a ESTATAL para produzir lucros PARTICULARES.

***
PS - O filho Eike nasceu rico e poderoso. Se descuidou, foi preso em casa pela Polícia Federal. Seguiu a receita de Daniel Dantas, "só tenho medo da Polícia; lá em cima, eu resolvo", resolveu. Ninguém sabe onde está a conclusão do ato de prisão.

PS2 - Para o HOMEM MAIS RICO DO BRASIL SER PRESO, é necessário que a acusação esteja fundamentada. ESTAVA. Mas as providências LÁ DE CIMA, também ESTAVAM.

PS3 -  Eike "funda" empresas que provocam notícias e permitem a concessão de favores. Nem é só pelo lucro, e sim para exibição.

PS4 - Fora a herança "que meu pai me deixou", abriu ou comprou restaurantes, hotéis, espalhou através dos amestrados, "estou DESPOLUINDO a Lagoa Rodrigo de Freitas". Continua a mesma, ninguém conhece a Lagoa como este repórter. Mas as pessoas acreditam na DESPOLUIÇÃO. Ha!Ha!Ha! Não riam, é a tragédia da corrupção.

PS5 - É preciso que alguém obrigue Eike Batista a explicar como se tornou O HOMEM MAIS RICO DO BRASIL. Acho que quem pode fazer isso é a RECEITA FEDERAL.

04/11/2013 14h10 - Atualizado em 04/11/2013 14h40

Queda de Eike Batista 'envergonha' Dilma Rousseff, diz 'FT'


Crise levanta dúvidas sobre direção política do país, segundo o jornal.
Petroleira de Eike pediu recuperação judicial na semana passada.

Do G1, em São Paulo
A queda do empresário Eike Batista – cuja petroleira, OGX, entrou na semana passada com pedido de recuperação judicial – envergonha a presidente Dilma Rousseff, segundo o jornal britânico "Financial Times".
“Deve haver momentos na carreira de todo político que os faz ter calafrios ao relembrá-los. Para a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, um deles deve ser o dia de abril do ano passado quando ajudou o falido empreendedorEike Batista a comemorar o ‘primeiro óleo’ do que hoje são seus falidos campos na costa do Rio de Janeiro”, diz o jornal.
Eike ainda era, na ocasião, o homem mais rico do Brasil, com uma fortuna estimada em mais de US$ 30 bilhões, investidos em empresas de petróleo, mineração, energia e logística. “Era o auge do relacionamento entre Batista e o governo”, diz o jornal.
Queda de Eike Batista 'envergonha' Dilma Rousseff, diz 'FT' (Foto: Reprodução)Queda de Eike Batista tratada no 'FT"
(Foto: Reprodução)
O “FT” aponta que a queda do empresário, “que em muitas maneiras era o empresário ‘de estimação’ do governo petista”, levanta dúvidas sobre a direção política futura.
“A ascensão de Eike Batista deu credibilidade às afirmações do PT de que suas políticas econômicas estatistas eram simultaneamente amigáveis ao mercado. A queda de Eike fará o partido mais ou menos intervencionista?”, questiona a publicação. “A resposta será crítica para a prosperidade futura do Brasil”.
A reportagem aponta ainda que o relativo silêncio do governo sobre o colapso de Eike é uma surpresa para alguns, que pensavam que o império “X” era “grande demais para quebrar”. “Mais provavelmente, Brasília percebeu cedo que o castelo de cartas de Batista era precário demais para ser salvo”, diz o texto.

Recuperação judicial

A petroleira
 OGX, controlada por Eike Batista, entrou na quarta-feira (30) com pedido de recuperação judicial. O pedido foi feito pelo advogado Sergio Bermudes.
A medida já vinha sendo aguardada pelo mercado, com a proximidade do fim do prazo para que a empresa agisse e evitasse um calote formal de sua dívida. O processo de recuperação judicial da petroleira é o maior da história de uma empresa latino-americana, segundo dados da Thomson Reuters.
A recuperação judicial é um instrumento da legislação brasileira que permite que empresas que perderam a capacidade para pagar suas dívidas possam continuar operando enquanto negociam com seus credores, com a mediação da Justiça, para tentar evitar a quebra definitiva.
Em imagem de arquivo, Eike Batista comemora com a presidente Dilma Rousseff o início da produção da OGX (Foto: Reuters)Em imagem de arquivo, Eike Batista comemora com a presidente Dilma Rousseff o início da produção da OGX (Foto: Reuters)
A petroleira declarou dívida consolidada de R$ 11,2 bilhões no pedido de recuperação judicial e disse que não tem qualquer endividamento bancário nem créditos com garantias reais
O prazo para que os credores aprovem esse plano é de 180 dias (também contados a partir do despacho do juiz). Se o plano não for aprovado em assembleia, a empresa quebra, e o juiz decreta falência. Aprovado o plano, ele é implementado e precisa ser seguido à risca.


http://s2.glbimg.com/lgyXAiZoa-RX2dx6Fp3YOfBybG8=/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2013/11/04/eike_dilma.jpg

domingo, 23 de agosto de 2015

As Armas...

Combatentes da resistência tcheca atacaram o alemão Reinhard Heydrich, governador representante do Protetorado da Boêmia e Moravia, em uma emboscada perto da cidade de Praga, em maio de 1942. Reinhard veio a falecer, em 4 de junho de 1942, em decorrência dos ferimentos recebidos. Em retaliação àquele ataque, os alemães destruíram a cidade tcheca de Lídice, no dia 9 de junho de 1942. Os alemães atiraram em todos os homens da aldeia e deportaram a maioria das mulheres e crianças para os campos na Alemanha. ‘


... e os barões assinalados

‘As armas e os barões assinalados
Que da Ocidental praia Lusitana,
Por mares nunca dantes navegados
Passaram ainda além da Taprobana,
Em perigos e guerras esforçados
Mais do que prometia a força humana
E entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram; ’

-- Luís de Camões,
Os Lusíadas (1572)
Canto I, 1’









'Ácaros briguentos'

http://img-s-msn-com.akamaized.net/tenant/amp/entityid/BBlu23d.img?h=522&w=874&m=6&q=60&o=f&l=f






Lidice | 2011



https://youtu.be/0C0Z7PZepaM


Lutas e lutas.
Armas e armas.
Vidas e vidas.
Armas.
Linguagem de armas.
Armas de Linguagem.
Figuras.
Figuras Reais.

Struggles and fights.
Guns and weapons.
Lives and lives.
Weapons.
Gun language.
Language weapons.
Figures.
Real figures.

Boje a zápasy.
Zbraně a zbraně.
Bydlí a žije.
zbraně
jazyk Gun
Jazykové zbraně.
čísla
Skutečné hodnoty.
 
Kämpfe und Kämpfe.
Pistolen und Waffen.
Leben und das Leben.
Bewaffnung
gun Sprache
Sprache Waffen.
Figuren
Realen Zahlen.
 
Batailles et combats.
Des fusils et des armes.
La vie et la vie.
armement
langue gun
Armes de langue.
figures
Nombres réels.
 
 
 


Vagner da CUT ostenta armas de linguagem em Salão Nobre do Palácio do Planalto ao lado da ‘Presidenta’. (2015)
PRESIDENTE DA CUT AMEAÇA LUTA ARMADA SE DILMA FOR DERRUBADA


Traficantes ostentam fuzis dentro da piscina da vila olímpica de Honório Gurgel (2014)


“Mas a vida é esta de luta. Lutar para viver e não viver para morrer de fome e nossos filhos na miséria... Feliz daquele que tem um ideal para lutar e defender.” (Clodesmidt Riani)

‘Quem é o personagem desta história?’ (1963)

 ‘O governador Miguel Arraes, diante do auditório do Cine Popular, completamente tomado pelos populares, iniciou o seu discurso, enquanto ouvia os gritos de “fala, fala, fala”. Conclamou a todos para uma luta destemida em torno das Reformas de Base, na qual era preciso “ganhar a praça”. Arraes condenou a atuação do Instituto Brasileiro de Ação Democrática (Ibad), que “emprega de outra maneira, agora, o seu dinheiro. Derrotada a sua propaganda, apela para a compra de armas”. Após, disse: “Lutamos pelas reformas, mas precisamos de liberdade para isso”. E justificou: “O povo, somente o povo, é capaz de realizar as mudanças, por isso é que defendo o voto do analfabeto. O fato de saber ler, hoje em dia, já é um privilégio”. Arraes homenageou Minas, “coração do Brasil” e “berço da liberdade”, declarando: “Em Minas se levantará o espírito de Tiradentes”. No final do discurso de Miguel Arraes, o auditório gritava: “Falou, falou, falou”. Seguiu-se o canto do Hino Nacional Brasileiro, com vivas à liberdade do país e à democracia verdadeira. ’

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Fiat lux

Atropelamento e abalroamento.

De Fiat Elba 1992 a 147 em 2015

"No princípio, Deus criou o céu e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo. E o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. E disse Deus: Haja luz: e houve luz. E Deus viu a luz, e foi bom, e Deus separou a luz das trevas". Terceiro versículo do Livro do Gênesis

Em 1992 um presidente da república federativa do Brasil foi atropelado por uma Fiat Elba 1992.



 O então collorido, hoje presidente da câmara dos deputados federais, em 2015, corre o risco de ser abalroado por um modesto


artigo 147 do código penal brasileiro, em algum Tribunal de Justiça Criminal (TJC).


Advogada deve ser 'responsabilizada' se não esclarecer ameaças, diz Cunha


Presidente da Câmara alegou que acusação atinge a Casa 'como um todo'.
Ele afirmou que determinará à Procuradoria da Casa interpelá-la judicialmente.



Artigo147 CP – AMEAÇA

Ameaça

Art. 147  Ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal injusto e grave:
Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.
Parágrafo único – Somente se procede mediante representação.

—————————–

COMENTÁRIOS:

—————————–

A ameaça se diferencia do constrangimento ilegal (art. 146 do CP), porque neste o agente busca uma conduta positiva ou negativa da vítima e aqui, na ameaça, o sujeito ativo pretende tão somente atemorizar o sujeito passivo.
SUJEITO ATIVO – Qualquer pessoa
SUJEITO PASSIVO – Pessoa com capacidade de entendimento.
Trata-se de CRIME SUBSIDIÁRIO, constituindo meio de execução do constrangimento ilegal, extorsão, etc.
A ameaça tem que ser verossímil, por obra humana, capaz de instituir receio, independente de causar ou não dano real a vítima.
Trata-se de CRIME FORMAL, não sendo necessário que a vítima sinta-se ameaçada.
Consuma-se a ameaça no instante em que o sujeito passivo toma conhecimento do mal prenunciado, independentemente de sentir-se ameaçado ou não (crime formal). Contudo, é possível a TENTATIVA, quando a ameaça é realiza por escrito.
Só é punível a título de dolo. Sendo posição vencedora em nossos Tribunais a de que o delito exige ânimo calmo e refletido, excluindo-se o dolo no caso de estado de ira e embriaguez.
A ação penal é pública, porém somente se procede mediante REPRESENTAÇÃO.



Aparentemente a hierarquia do poder e a autoridade não foram comprometidas pelas simbologias do pertencimento e do status.